Tipos de quadros de bicicleta: 4 modelos e características

Assim como existem diversos modelos de carros e suas estruturas, com as bicicletas acontece o mesmo. Existem modalidades diferentes e, para isso, cada qual é montada de maneira que ofereça desempenhos melhores ao ciclista.

Se você quer entender mais sobre as bikes, seja para se especializar no pedal ou para começar a entrar nessa rotina, saiba que existem diferentes tipos de quadro de bicileta. E, hoje, a FKS está aqui para te apresentar quais são eles e suas características principais. Continue lendo para aprender mais sobre!

Tipos de quadro de bike e curiosidades: FKS conta mais!

A história da bicicleta é longa, muitos modelos foram criados até chegar ao que temos hoje. Mas a partir do momento em que o quadro do tipo dois triângulos surgiu, também chamado de diamante, ele começou a ser um dos favoritos dos fabricantes, afinal é mais resistente e leve.

Então os tipos de quadros de bicicleta foram surgindo, sendo eles:

  • Formato Diamante;
  • Full Suspension;
  • Formato “Y”;
  • Hardtrails;
  • Full Diamante;

Cada um desses modelos listados possui características específicas, mas todos eles já são uma evolução por manterem as rodas da bike do mesmo tamanho. Existem também diferenças muito grandes entre os materiais dos quais esses quadros são feitos. Os exemplos mais comuns de se encontrar no mercado são os de aço inoxidável, carbono, alumínio e, em alguns casos, o titânio.

Além da composição, é importante também entender qual o tamanho de quadro ideal para que você não erre na hora de escolher! Veja agora um pouco mais sobre cada um desses formatos de quadros que encontramos nas bicicletas atuais. Entenda quais são suas característica e como elas se distinguem entre si!

Formato diamante: a grande mudança nas bicicletas

Quando o desenvolvimento da bicicleta iniciou, o modelo mais popular era o Penny Farthing, aquele que vemos em livros ou filmes de época e que possui uma roda dianteira muito grande enquanto a traseira é pequena.

O formato que rompeu com esse surgiu por volta de 1900 e é chamado de diamante. Formado de dois triângulos opostos, ele modificou a proporção entre os aros e abaixou o centro de gravidade das bikes. Dessa forma ficou bem mais fácil se equilibrar para pedalar e, por isso, a bicicleta com quadro diamante foi chamada de bicicleta de segurança. A primeira que se tem registro foi inventada por John Kemp Starley.

Esse modelo também pode ser classificado como mais leve e bem mais resistente que o anterior. Dessa forma, promoveu-se a popularização desse meio de transporte, já que antes o comum era apenas homens jovens andarem nas magrelas, por conta da altura.

Full Suspension

O modelo Full Suspension mudou um pouco o quadro diamante. Adicionou suspensões dianteira com hastes duplas e contou com polímeros amortecedores – também chamado de elastômeros – para auxiliar no conforto durante a pedalada.

Ele foi criado como consequência do desenvolvimento de novas tecnologias que trouxeram a suspensão traseira como uma opção ao mercado. O grande problema era que o formato diamante não funcionava tão bem com essa adição, por isso diversas marcas grandes da época buscaram formas de solucionar essa questão.

Uma missão sem muito sucesso até 1995, quando a Proflex modelo 355 foi lançada. Ela se distanciou em forma do modelo anterior, mas preservou a vantagens da proporção das rodas.

Se você quer entender tudo sobre tipos de suspensões, confira nosso material completo para te ajudar a escolher!

Formato Y: um peso ainda menor

O fomato Y é derivado do Full Suspension. Esse tipo de quadro de bicicleta é usado atualmente em diversos países para modelos de passeio. Ele é mais leve e possui um visual menos complexo. Com suspensão nas duas rodas, seu amortecedor traseiro fica abaixo do chamado top tube – o tubo superior do triângulo dianteiro do quadro.

Full Diamante: os modelos mais tecnológicos

Se nos meados dos anos 90 combinar a forma do modelo diamante com as suspensões foi um problema, hoje não é mais. O avanço tecnológico na área de ciclismo permitiu unir as melhores características desses dois tipos de quadro. Dessa mistura, nasceu os modelos Full Diamante.

Esse formato é mais leve que o Full Suspension e muito confiável para pedalar em altas velocidades. Ele se adapta bem a terrenos que não são lineares, permitindo que o condutor tenha agilidade e mobilidade para se aventurar. Existem diversas variações em ângulos e distância, variando do uso de cada modalidade, mas as características básicas permanecem ali.

Material de quadros de bicicleta e a preferência pelo alumínio

As bicicletas têm diversos usos: são usadas desde o transporte mais tranquilo até os esportes mais emocionantes. O alumínio se mostrou a melhor opção para que exista um melhor custo benefício na produção, mas garantindo que esses produtos sejam resistentes sem ser pesados.

Ele é o material mais usado para confeccionar os tubos que formam os quadros de bicicletas. Diferente do titânio, gera produtos acessíveis a um maior número de compradores. Mas, mesmo que o alumínio aguente estradas e trilhas, ele não é a aposta certa para pedaladas com impactos muito fortes.

Formato, material, suspensão e vários outros fatores influenciam na hora da compra. Para saber qual o melhor modelo para si, leia nosso post: como escolher uma bicicleta: guia prático da FKS Bike! Em nosso blog você encontra diversos conteúdos sobre ciclismo, não deixe de conferir!

Deixe um comentário