Mantendo a performance: 5 cuidados na manutenção da bike

Mantendo a performance: 5 cuidados na manutenção da bicicleta

Seja nas competições ou nas pedaladas casuais, ser atencioso com a manutenção da bicicleta, prestando atenção a cada peça, é crucial, uma vez que um único componente danificado pode afetar o funcionamento como um todo.

O mau funcionamento ou a deterioração das peças não apenas pode representar uma queda de desempenho, mas um risco sério de acidente! Você pode diminuir grandemente esses riscos tomando os cuidados sobre os quais falaremos aqui.

É indispensável executar esses procedimentos para garantir a sua segurança e prolongar a vida útil da sua bike.

No caso dos mais experientes e de quem gosta mesmo de ser desafiado pela natureza, a atenção e os cuidados são redobrados. Como sabemos, viver nesse ritmo é algo único e intenso, por isso, exige que a gente se envolva com seriedade.

A importância da manutenção da bike em dia

Vale a pena lembrar que por detrás de cada processo e cuidado, está a paixão por viver cada pedalada! Não deixe que os cuidados citados aqui se tornem momentos de aborrecimento na sua vida, encare-os como um treino.

Realizar a manutenção da sua bike é uma chance ótima de aprender ainda mais sobre o funcionamento dela, assim como para entender melhor a forma como ela interage com cada ambiente em que roda.

Esse conhecimento é muito valioso por duas razões principais:

  • Sentido: sua bicicleta começa a “fazer mais sentido” conforme você aprende com especificidade o papel das peças e como elas influenciam no trabalho conjunto para te fornecer o melhor desempenho;
  • Controle: da mesma forma, conforme você aprimora o seu conhecimento, fica mais fácil ter controle sobre o movimento, inclusive aprendendo técnicas para aplicar durante a corrida.

Mesmo se você não quiser cuidar da manutenção sozinho e optar por ter a ajuda de outra pessoa, é perfeitamente possível construir aquele conhecimento tão importante sobre sua bicicleta, sem ficar entediado com todo o processo.

Tudo isso sem perder o mais importante que o mundo FKS nos ensina: o amor pela corrida.

Dito isso, vamos partir para as dicas!

4 cuidados para você adotar na manutenção de bicicletas

Vamos conferir agora as 4 dicas importantes para você sempre se lembrar na hora de preparar a sua bike, seja para levar sua trail em um itinerário desafiador ou para uma pedalada mais casual.

Pessoas de máscara realizando manutenção em pneu de bicicleta

1 – Limpeza

Começando com um ponto simples, porém, muito relevante. Manter sua bicicleta livre da poeira e do barro é essencial não apenas por questões estéticas, mas também para evitar que os componentes tenham sua funcionalidade afetada.

A poeira acumulada, bastante comum para quem pedala na cidade, pode comprometer a lubrificação da corrente e de outros componentes. O barro, por ser mais pesado e consistente, tem esse efeito ainda mais intenso nas trilhas.

Independente do modelo, você pode realizar a limpeza a seco semanalmente, usando um pano para remover a sujeira de todos os componentes. Fazer isso é bastante interessante porque é um procedimento preventivo.

Algumas pessoas preferem não praticar essa higienização diária, com a ideia de que só vale a pena limpar a bicicleta quando ela estiver bem suja mesmo.Perceba que não é preciso esperar que a sujeira se acumule bastante para depois limpar.

Na verdade, se você tiver um pequeno esforço diário, poderá evitar a necessidade de uma limpeza mais trabalhosa depois, sem falar que a bike vai estar sempre impecável, prontinha para uso.

Caso você esteja lidando com um grau um pouco mais elevado de sujeira, envolvendo barro, por exemplo, a limpeza pode ser realizada com uma esponja não abrasiva, água e sabão. Com a ressalva para o quadro de carbono, que exige shampoo neutro.

2 – Lubrificação

Garanta uma boa lubrificação de peças vitais da sua bike. O rolamento, a coroa, corrente e até os pedais exigem uma boa lubrificação. Justamente por isso é que você deve estar atento a algumas informações errôneas que circulam.

Usar querosene ou Cif para lubrificar a corrente da sua bicicleta é um erro grave, pois, na verdade, esses produtos provocam a corrosão do componente. O mesmo efeito é provocado pelo limão, logo, atenção ao ler.

Outro ponto importante na hora de lubrificar a corrente é a quantidade de óleo usada. Não precisa afogar sua sua corrente no lubrificante! Basta uma gota em cada link interno (parte de baixo) para se ter a lubrificação necessária.

Aqui, fazemos mais uma observação para as bikes de carbono, que exigem o uso de lubrificante seco.

3 – Evite afrouxamentos

Esta é uma dica que vale muito, inclusive, quando o assunto é se preparar para alguma corrida importante.

Como você sabe, sua bike é composta por diversos parafusos, que podem se afrouxar com o tempo. Esse afrouxamento é ruim para o desempenho e para a segurança, uma vez que ocasiona problemas na dinâmica ao virar o guidão, por exemplo.

Foco em mão de ciclista com luva mexendo em correntes da bicicleta

Usando uma chave Allen com torquímetro, você consegue realizar com facilidade a regulagem da fixação dos parafusos, certificando-se que eles estejam bem presos.Você realiza esse processo com ainda mais precisão se der uma conferida nas nossas instruções detalhadas sobre como preparar sua bike para corrida.

4 – Freios

Cuidar bem dos freios começa com atenção às alterações que ocorrem no seu comportamento. Enquanto estiver pedalando, acione os freios e tente sentir alguma anormalidade.

Por exemplo, tente perceber se o esforço exercido nos comandos de freio está sendo totalmente transformado em ação efetiva deles. Também fique atento às condições das pastilhas de freio.

O funcionamento das pastilhas é baseado no atrito com o disco, o que significa que o passar do tempo vai deteriorar a peça, reduzindo sua espessura original. Esse efeito é um fato tanto para o disco quanto para as pastilhas.

Assim, é preciso se certificar de que as pastilhas sejam trocadas quando ficarem com 60% da espessura original. Da mesma forma, os rotores devem ser substituídos quando atingirem 1,5 mm de espessura.

Outro ponto importantíssimo diz respeito à contaminação dos componentes de frenagem. Fluído de freio e óleo lubrificante não devem nunca entrar em contato com discos e pastilhas! Se isso acontecer, lave com intensidade para limpar as peças

Até mesmo bebidas isotônicas podem contaminar as peças, diminuindo o poder de frenagem.

Por fim, lembre-se de realizar o burn-in sempre que trocar as pastilhas. O processo consiste em acionar os freios com a bicicleta em movimento. Acione os freios até que a roda quase pare! Não trave sua roda, pois isso terá o efeito oposto do burn-in.

A ideia é fazer a pastilhas se ajustarem ao disco, tornando a frenagem mais efetiva.

E aí, que tal vestir seus equipamentos e partir para uma corrida segura e de alto desempenho? Lembre-se de continuar navegando pelo nosso blog para encontrar ainda mais informações e aproveitar ao máximo tudo que o universo MTB oferece!

Deixe um comentário